As tendências exploradas nas literaturas dos gurus da administração apontam
uma escassez de líderes sem precedentes. E você, líder, como responde a isso?

por Marcia Vespa | 15/1/2015


Marcia Vespa▶ Como profissional em cargo de liderança (ou aspirante), você provavelmente conceberá a escassez de líderes como um fato verídico ou questionará se, diante de tantas demandas, o universo não poderia ser mais condescendente e conspirar a seu favor. O fato é que vivemos, sim, uma escassez de líderes. Mas isso pode ser o estopim para que você saia da grande massa de líderes fragilizados com as mudanças, inábeis na gestão de pessoas para os resultados, e se torne o melhor líder que pode vir a ser.

Posso, então, voltar ao título deste artigo. E muito bem-vindo à realidade, pois para cada resultado não atingido será a você atribuída a responsabilidade, afinal você escolheu estar na posição de líder; e sê-lo (podem lhe dar todos conceitos possíveis, mágicos ou minimalistas, hards ou softs) é cuidar do empreendimento.

Se você está consciente dos cuidados que oferece à empresa e mesmo assim tem sofrido para atingir objetivos, talvez a sua dificuldade não esteja na atitude (no querer fazer) ou na técnica (seus conhecimentos), mas na necessidade de maiores habilidades para gerir a sua equipe, tornando-a forte o suficiente para poder ser adjetivada como uma equipe de alta performance, e ser assim conhecido como um grande Líder na organização.

Como capacitar-se para liderar?Ao longo desses anos tenho atuado junto às empresas de todos os portes, desenvolvendo lideranças em todos os níveis, e as queixas são muito parecidas. Se a ausência de feedback impede o crescimento ou se os feedbacks não são dos mais precisos nem capazes de ajudá-lo a identificar quais comportamentos precisam de desenvolvimento, o que proponho é trazer para o cenário do aprendizado o seu superior imediato e sua equipe. E, a partir disso, acompanhar o plano de ação a ser trabalhado com objetividade e imparcialidade, conectado à sua visão de futuro para que avance na sua carreira sem retrocessos. Tal desenvolvimento é melhor adquirido em sala de aula, com profissionais qualificados para tal, onde é possível receber as ferramentas, os conhecimentos e as técnicas imediatamente transferíveis ao ambiente de trabalho, com apoio durante todo o ciclo para ser ouvido, provocar ajustes e redirecionar a sua energia para entregas em níveis superiores.

Escolhas

Outro dito popular diz que “o bom é inimigo do ótimo” e esse é o principal problema que empresas e líderes enfrentam hoje. Sem estabelecer juízos e mesmo desconhecendo suas pretensões de crescimento já me permito afirmar que se o bom lhe contenta, a vida lhe cobrará por isso em algum momento. Nossas demandas or excelência, na vida pessoal ou profissional, pedem por nada menos que o melhor. Tornar-se um grande líder não é ‘viver na flauta’. Este trabalho requer dedicação e perseverança para lá na frente, ao erguer o troféu, ser capaz de dizer a você mesmo: venci!
O grande aprendizado da vida é que não há sucesso sem dedicação. E toda dedicação implica em um esforço extra. ■

 

Relacionados >>

Educação Corporativa > T&D
:: Treinamentos de Liderança

▪ Liderança Empreendedora –
Programas de Formação e
Desenvolvimento de Líderes

▪ Treinamento Aberto de Liderança (início: 4/5/2015)

▪ Treinamento Aberto de Liberança (início: 21/9/2015)

▪ Soluções em Educação Corporativa


Outros Artigos


Próximos Treinamentos

► Agenda Completa ◄

 




Relacionados

Gestão por Competências X Liderança – Uma relação intrínseca O Consultor Euclides B. Junior analisa o papel da Gestão por Competências como base para a formação de Líderes Atuantes.
O elo entre comprometimento e liderança O que faz com que pessoas como John Nash e Irmã Dulce provoquem um impacto tão expressivo ao seu redor?
A importância de um Plano de Cargos e Salários Empresas movimentam-se cada vez mais para otimizar seus recursos humanos e financeiros com projetos capazes de atender a demanda de um ano de incertezas. O Plano de Cargos e Salário aparece no cenário para atender a esta demanda.
Empresas contratam por Competência Técnica e demitem pela Comportamental Selecionadores de pessoas se encantam com um currículo recheado de competências técnicas. Será que isso basta?
Como incentivar e manter equipes motivadas? Como motivar equipes nos nossos tempos? Muitos elementos tidos como motivadores no passado precisam ganhar doses de inovação, pois já não mobilizam pessoas na busca de resultados sustentáveis. - por Marcia Vespa
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailFacebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail