Alto salário não é o que mais chama atenção dos profissionais em uma determinada instituição. Outros atributos pesam mais na hora da escolha, como boas perspectivas de carreira, reconhecimento e condições para o desenvolvimento de novas capacidades. Os três atributos ficaram à frente do salário em pesquisa realizada pela consultoria LAB SSJ, com o objetivo de identificar os Employment Value Proposition das companhias, ou os atributos que tornam as empresas atraentes sob a perspectiva de quem está no mercado de trabalho.

Para Isadora Marques, coordenadora de pesquisa do LAB SSJ, os resultados permitem que as corporações avaliem seu posicionamento e possam desenvolver estratégias de atração e desenvolvimento de funcionários – algo extremamente importante em tempos nos quais talentos, escassos, valem ouro. Ao final da análise relacionada aos atributos, foi pedido para que os respondentes apontassem o nome do lugar no qual gostariam de trabalhar. O resultado trouxe a Petrobras (22,06%) na liderança, seguida pela Vale (20,93%), pelo Google (10,95%), pela Coca-Cola (9,88%), Natura (7,41%) e Unilever (7,02%).

Para criar carreiras sólidas

Para a Petrobras, líder do ranking, o resultado da pesquisa é bastante coerente com as políticas desenvolvidas internamente. Mariângela Mundim, gerente de Planejamento de Recursos Humanos, acredita que perspectiva de carreira, atributo apontado pelos entrevistados como o mais relevante, é uma preocupação constante da Petrobras e, por isso, é acompanhada de perto pelos gestores. “Nosso plano de carreira prevê que o funcionário atue na companhia durante 30 anos, em constante crescimento, de acordo com o seu desempenho”, diz. O desafio é ainda maior por se tratar de uma instituição cujo processo de seleção é público. “Contamos com um processo sistemático de gerenciamento de desempenho no qual gerente e funcionário traçam metas de acordo com as competências e, anualmente, essa combinação é avaliada por meio de um feedback. Com base nesse processo, é possível saber se o profissional será promovido ou não”, explica Mariângela.

O desenvolvimento de talentos na própria empresa, especialmente para a ocupação de postos de liderança, também é priorizado pela Vale, segunda colocada no ranking. “Cerca de 90% das posições gerenciais são preenchidas internamente”, afirma Renata Mazoco, gerente de Atração de Talentos da companhia. Para promover essa política, busca-se potencializar a capacidade de resposta de seus líderes às demandas dos negócios e estimular o autodesenvolvimento, oferecendo ações educacionais. São mais de 15 cursos para todos os níveis de liderança, envolvendo anualmente mais de 2,1 mil pessoas.

Na sexta posição na pesquisa, a Unilever fundamenta as oportunidades de carreira para seus colaboradores com o desenvolvimento de seus profissionais por meio de programas de estágio, trainee, coaching e mentoring. “O compromisso da Unilever com a formação de seus funcionários não está somente no discurso. Prova disso é que 50% do board é composto por ex-trainees”, revela Joana Rudiger, gerente de Recursos Humanos da empresa.

De acordo com a gerente, a Unilever possui planos de carreira bem articulados que acompanham o profissional desde seu ingresso na companhia. “Como se trata de um dos programas mais concorridos do mercado, investimos muito tempo e dedicação para selecionar os candidatos que possuem potencial para se tornarem futuros líderes”, complementa.

Valorizando quem faz

Apontado pela pesquisa como o segundo atributo mais importante em uma instituição, reconhecimento e valorização são, de acordo com Renata, valores que orientam todas as ações da Vale, que oferece oportunidades de desenvolvimento profissional e um pacote de remuneração variável atraente – baseada no desempenho do indivíduo, da equipe e da companhia –, que também funciona como um estímulo à meritocracia.

Na Petrobras, o reconhecimento dos colaboradores é feito por meio de programas como o Destaques, prêmio anual que reconhece equipes e pessoas que se destacaram no período; ou o Inventor, que premia patentes.

Além de disponibilizar a seus funcionários benefícios competitivos e integrados com o mercado, a Unilever conta com o Unilever Brasil Awards. Lançado em 2011, o prêmio reconhece iniciativas de grupos de até cinco funcionários que trazem resultados alinhados à estratégia de negócio, engajamento e sustentabilidade.

Cuidado na formação dos colaboradores

Treinar e desenvolver pessoas – terceiro atributo mais citado pelos participantes da pesquisa – está no DNA da Petrobras. Por isso os cursos de formação são continuados e, anualmente, todos os profissionais da empresa passam por treinamentos de acordo com o seu plano de carreira. Assim, a companhia atua com universidade própria, oferecendo programas de desenvolvimento relacionados à indústria de petróleo, com duração de dois a 13 meses, e possui, ainda, convênios com instituições de ensino que oferecem treinamentos no exterior.

Os treinamentos para desenvolver habilidades gerais e específicas para cada função também são oferecidos a todos os profissionais que atuam na Unilever, empresa cujos investimentos nessa área, em 2011, chegaram a R$ 20 milhões.

“Fora o desenvolvimento funcional e de liderança, temos treinamentos obrigatórios para garantir qualidade, segurança dos funcionários e da corporação. Com duração de uma hora, esses cursos são disponibilizados também a parceiros que trabalham em nossos prédios e fábricas”, afirma Joana.

Contando com o apoio da Valer, área voltada para ações educacionais, a Vale não só oferece treinamento a todos os seus profissionais, como qualifica mão de obra nas regiões onde atua para futura incorporação à companhia, por meio do programa Portas de Entrada. A organização aposta também na capacitação da comunidade que vive em seu entorno por meio de cursos que não estejam diretamente relacionados a seus negócios, mas aumentam a empregabilidade local.

O segredo do sucesso

Estar entre as dez instituições nas quais os profissionais gostariam de trabalhar não é tarefa fácil: construir uma imagem sólida requer uma série de ações bem estruturadas para reter e atrair talentos. Abaixo, Petrobras, Unilever e Vale apontam seus diferenciais e contam o segredo do sucesso.

“A Petrobras goza da imagem de uma empresa cidadã e responsável social e ambientalmente, que oferece a seus colaboradores bom ambiente de trabalho, um pacote de benefícios poderoso e remuneração bastante competitiva em relação ao mercado, além da possibilidade de estudar, dentro e fora do País, e se desenvolver no âmbito pessoal e profissional. Esse conjunto de benefícios não precisa ser lembrado pela empresa; ele é divulgado pelos seus próprios funcionários.” – Mariângela Mundim, gerente de Planejamento de RH da Petrobras

“A Unilever é uma empresa sólida, inovadora, ética e dinâmica, na qual se pode ficar muito tempo e ter a sensação de ter trabalhado em vários lugares diferentes. A companhia oferece flexibilidade para que carreira e vida pessoal não sejam objetivos divergentes. Por todos esses motivos, a confiança que a Unilever deposita em seu funcionário é retribuída por eles.” – Joana Rudiger, gerente de RH da Unilever

“Somos a segunda maior mineradora do mundo, uma das maiores empresas do planeta e temos o orgulho de poder dizer que nossos empregados valorizam esse nosso perfil de liderança. Superando metas, eles atingem um ritmo impressionante de aprendizagem e desenvolvimento, valorizam os desafios propostos e reconhecem nosso comprometimento com o desenvolvimento sustentável, com as comunidades onde operamos e com o meio ambiente. Estamos orgulhosos de que uma instituição tão grande, que tem conquistando tantas fronteiras, continue possuindo a ambição de sempre se desafiar.” – Renata Mazoco, gerente de Atração de Talentos e Engajamento da Vale.

Por Lucas Toyama

Fonte: Canal Rh

Relacionados

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailFacebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail