Quando o assunto é acesso às redes sociais no trabalho, opiniões de especialistas em Recursos Humanos, empregadores e gestores se dividem: há aqueles que acreditam que elas atrapalham o rendimento e outros afirmam que a liberdade em dedicar alguns minutos do trabalho às outras atividades ajuda no processo de criação e aumenta a produtividade.

O tema também é alvo de discussão entre os trabalhadores. De acordo com o site Trabalhando.com, feito com 991 profissionais, revela que 81% deles dizem não ter acesso às mídias sociais no trabalho e apenas 19% as utilizam no dia a dia do escritório. Ainda, mais da metade dos funcionários acredita que não há como conciliar o trabalho e o uso das mídias ao mesmo tempo.

Já 13% afirmam que é importante fazer algumas pausas durante o dia para acessar seu perfil e relaxar e para outros 36% isso é individual, isto é, depende do profissional e de como ele administra seu tempo.

Questão delicada

Para o diretor-geral da Trabalhando.com, Caio Infante, o uso das redes sociais no trabalho é uma questão particular. “Existem pessoas que conseguem conciliar os dois sem nenhum problema, já outros que passam o dia todo nas redes e não conseguem produzir”, explica.

Segundo Infante, cabe ao gestor observar e descobrir como cada profissional rende mais no trabalho. “Bloquear o acesso dos funcionários às redes pode ser bom para o rendimento de alguns, mas outros podem se sentir incomodados por ter essa liberdade tolhida e isso também pode prejudicar o trabalho. Vale avaliar o perfil da empresa e dos seus colaboradores para decidir a liberação ou bloqueio das redes”, conclui.

Fonte: InfoMoney | www.infomoney.com.br

Relacionados

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailFacebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail