De 2010 a 2012, Leyla Nascimento enfrentou um grande desafio na sua experiência como voluntária ao dividir seu tempo entre o trabalho, a família e o voluntariado. Essa rotina já não é novidade, pois vinha sendo cumprida há cerca de uma década e meia, quando passou a atuar voluntariamente na ABRH-RJ. O fator-chave veio em 2009, ao aceitar concorrer à presidência da ABRH-Nacional. Desafio proposto, aceito e superado.

Em janeiro de 2010, junto com a vice-presidente Elaine Saad, ela deu início ao Projeto ValoRH, focado em uma gestão nacionalmente compartilhada para fortalecer as 22 ABRHs existentes no Brasil e projetar a associação no mundo. Viajou por todo o país e por diversos países, incentivou debates inéditos em RH, propôs inovações, redirecionou rumos, tomou dezenas de decisões, algumas bem simples, outras bastante complexas. 

Em dezembro passado, os presidentes das seccionais se reuniram em Manaus (AM), para as eleições da gestão 2013-2015 da ABRH-Nacional. A decisão foi pela permanência de Leyla, confirmação de que a primeira mulher a dirigir a associação em seus 47 anos de fundação soube fazer a diferença. Nesta entrevista, ela faz um breve balanço do primeiro mandato e traça as perspectivas para o próximo triênio.

O projeto ValoRH priorizou uma inversão da pirâmide ABRH, na qual a Nacional passou para a base e as suas seccionais para o topo. Em que estágio isso está?
Podemos afirmar que a pirâmide já se inverteu. Em 2010, implantamos uma gestão participativa, na qual as diretorias da Nacional desenvolveram ações estratégicas que resultaram em um amplo crescimento de nossas atividades. As eleições que decidiram pela nossa permanência no triênio 2013-2015 foi o melhor retorno disso.

Para 2013, o projeto chama-se Mais ValoRH. O que vem agregado a esse "mais"?
Tem a ver com a nossa visão de que ainda temos muito a fazer para que a ABRH se consolide em todo o território brasileiro. É a continuação de um projeto de gestão que visa à sustentabilidade das ações implementadas e ampliação dos serviços e projetos oferecidos aos associados no país.

Alguma novidade já definida?
Traremos novos integrantes para contribuir com as ações e estratégias de plano diretor. Também serão criadas a Diretoria para Micro e Pequenas Empresas e a Diretoria de Relacionamento com os Associados.

Na sua gestão, foi dado o start a um processo para intensificar a presença da ABRH no mundo. O que falta consolidar?
Em 2010, foi dado o pontapé inicial de nos aproximarmos de entidades internacionais que são referência no cenário mundial. Nos engajamos em ações de ampla repercussão, como a idealização e realização em São Paulo, em maio de 2011, do primeiro evento de RH no mundo focado no Brics, e a organização e promoção, em junho passado, da Cúpula Mundial Green Jobs durante Conferência Rio+20 da Organização das Nações Unidas. Também participamos da fundação e gestão da Confederação dos Profissionais de Recursos Humanos de Língua Portuguesa (CRHLP) e buscamos maior aproximação com a norte-americana Society for Human Resource Management (SHRM), a maior entidade de RH do mundo, para compartilhar know-how e fazer o intercâmbio de conhecimento. Com essas e outras iniciativas, a ideia é divulgar as melhores práticas do RH do Brasil para outros países, o que já vem acontecendo. Em 2013, na Conferência Anual da SHRM, pela primeira vez teremos uma empresa brasileira apresentando o seu case.

Qual foi o grande aprendizado nesses anos?

De que é possível realizar quando escolhemos pessoas certas e comprometidas com a mesma causa. A Diretoria Executiva e os conselhos Deliberativo, Consultivo e Fiscal são formados por líderes e executivos de grande expressão no cenário nacional. Procuramos aproveitar ao máximo o potencial e a disponibilidade de tempo de cada um.

Quais são as expectativas a partir de agora?

Consolidar o projeto ValoRH fazendo da ABRH-Nacional uma associação com uma gama de serviços ainda maior, que gere valor para o associado e para a sociedade e assegure a sustentabilidade da instituição.

Fonte:Revista Melhor Gestão de Pessoas, nº 302, 2013.

Relacionados

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailFacebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail