Por: Paula Falcão

Fazendo uma pesquisa informal com clientes e amigos, percebi duas coisas:

1. Quem precisa assistir uma apresentação ou palestra geralmente vai já de antemão achando que vai ser algo chato e desestimulante – a não ser que o assunto realmente seja algo em que a pessoa está muito interessada!

2. Quando falamos em eventos empresariais e perguntamos porque as pessoas vão, geralmente as respostas são do tipo: “porque é legal ir para a Costa do Sauípe”, ou, “porque a comida é boa”, ou “porque vou encontrar os amigos”.

A grande pergunta que fica é: será que os recursos investidos na apresentação ou no evento estão realmente trazendo os resultados desejados?

Por que alguns eventos e apresentações fazem tanto sucesso e outros não?

Por que, mesmo dentre os que fazem sucesso, apenas uma parte vai realmente agregar valor para quem participou?

Bom existem eventos organizados e outros nem tanto, existem bons apresentadores e outros nem tanto… Acho que é óbvio que qualquer atividade, por menor que seja, tem que ser bem planejada e executada da melhor maneira possível…

Mas não é disto que quero falar. Quando planejamos uma apresentação ou um evento empresarial, seja apresentar um projeto ao seu cliente interno, seja uma palestra ou uma mega-convenção, no fundo em todos eles temos o mesmo objetivo. Queremos que aconteça aprendizado. Queremos que a nossa atividade agregue conhecimento para quem participa e capital intelectual para a organização. E nem sempre conseguimos isto…

Quando falamos de aprendizado, precisamos compreender que 3 elementos precisam estar presentes para que as pessoas aprendam:
O primeiro é o conteúdo, o que queremos que elas aprendam. Pode ser a nossa idéia sobre como lidar com um novo produto, as metas de vendas para o ano, uma nova maneira de negociar ou qualquer outro conhecimento que estamos preocupados em passar adiante. O conteúdo sempre tem que ser adequado ao publico com quem estamos lidando.

O segundo é a estratégia, como vamos fazer para passar o conteúdo. Vai ser uma apresentação expositiva? Vai ser um evento cheio de pompa e circunstância? Vai ser uma vivência? As pessoas estarão sentadas em círculo ou em auditório? Teremos datashow, sistema de som ou apenas um flip-chart e algumas canetas? Vai ter mestre de cerimônias ou todos estarão de bermudas e camiseta? Claro, a estratégia depende dos recursos que temos disponíveis e do que as pessoas estão esperando…

Normalmente, todos pensam nos dois elementos acima quando têm uma apresentação para fazer ou um evento para organizar. Porém falta o terceiro elemento, o mais importante de todos. Este terceiro elemento é o estado. O estado é como queremos que as pessoas fiquem para que aprendam mais. É conseguir que o seu público fique aberto, interessado e participativo.

Na maneira tradicional, pensamos primeiro no conteúdo, depois na estratégia e, durante a palestra, reunião ou seja lá o que for, temos a esperança que se Deus ajudar as pessoas irão ficar no estado necessário para aprender. E é por isto que temos um número tão grande de fracassos em eventos e apresentações. O estado, como tudo o que acontece em uma organização, deve ser planejado. Não pode ser consequência, precisa ser causa!

Portanto, se você quer garantir o sucesso do seu evento, planeje e consiga o estado antes de qualquer outra coisa! Deixe as pessoas abertas e receptivas antes e não durante! Este é o elemento que faz a diferença – gaste tempo do seu evento / apresentação para isto!

Extraído do site: KDP-Kepler Desenvolvimento de Potencial(http://www.kdpkepler.com.br)


E-BOOK | Atividades e Dinâmicas para T&D

capa_ebook_dinamicas01

Na área de Treinamento e Desenvolvimento utilizamos atividades, jogos e dinâmicas de grupo de forma a fixar pela vivência lúdica os conceitos demandados pela estratégia organizacional. O e-book de Jogos, Atividades e Dinâmicas de Grupo lista dezenas de dinâmicas e seus contextos de aplicação! Clique na imagem acima para mais informações


FacebooktwitterredditpinterestlinkedinmailFacebooktwitterredditpinterestlinkedinmail